Especial

1973 – O ano que reinventou a MPB

Por Célio Albuquerque - 31/01/2014

Nas vitrolas rolava todo tipo de som. Do experimentalismo de Caetano Veloso e Walter Franco a música popular e romântica de Odair José e Antônio Marcos. Da força percussiva de Naná Vasconcelos aos rebolados dos Secos & Molhados. O ano de 1973 foi assim. O 1973 é assim.  Assim é o ano que reinventou a MPB. Quando os críticos mais vorazes da música popular brasileira afirmavam que ela estava morrendo, notadamente com o final da era dos festivais> Mas, ao contrário ela simplesmente se reinventa.

E com esse foco iniciamos a construção do livro coletivo “1973 – O ano que reinventou a MPB”, lançado pela Sonora. A organização sim é do autor do texto que o leitor agora se atém. Mas, o livro é de todos os seus autores. Cada um  escolheu ou foi escolhido para falar, de maneira pessoal de um LP lançado em 1973, mas sem fugir do compromisso da informação.

A intenção sempre foi a de compor um painel de ano tão ímpar, múltiplo. Ao mesmo tempo que o leitor se depara com textos assinados por autores com vários livros publicados sobre música,  ele também encontra textos assinados por  gente que nunca havia publicado nada.

Publicidade

O que tinha que valer era o prazer que a música leva a cada um dos autores e como isso poderia ser transmitido para outros leitores/ouvintes. Quem tinha que brilhar eram os discos e seus artistas. Os autores deveriam ser  canais para isso, para a música tomar seu devido lugar. E assim foi.

A  quantidade de importantes títulos lançados  em 1973 não deixa dúvidas:  a música popular brasileira renasce em 1973, não como uma fênix, mas em muito semelhante.

Na noite de lançamento nacional do livro, dia 23 de janeiro de 2014, na Travessa do Shopping Leblon, no Rio,  Trinta e um dos cerca de 50 autores marcaram presença. Mas, como identificar tantos autores? Foram criados crachás. Sem filas, cada leitor procurava seu autor conhecido e dele coletava assinatura. E os próprios autores coletavam assinaturas de seus pares. Alguns artistas como obras retratadas no livro como João Donato, Moraes Moreira (Novos Baianos), Fagner, Ednardo (Pessoal do Ceará) e Roberto Menescal (produtor atuante em 1973 e em todos anos 70, em especial) marcaram presença no lançamento. E também deram seus autógrafos. A noite  durou aproximadamente quatro horas. E o tempo quase todo de “casa” cheia.

1973 é um livro de leitura fácil. Cada disco, com suas particularidades, é visto assim pelos autores de cada texto.  1973 é  um livro feito para quem gosta de música brasileira, construído por quem gosta de música brasileira.

Só por termos conseguido materializar esse sonho e reunir tanta gente boa, para ouvir tantos discos sensacionais, já está valendo. Muito.

Os discos abordados? Tem de Som Imaginário a Tom Zé, de Gonzaguinha a Tom Jobim, de Clara Nunes e Beth Carvalho a  Raul Seixas. 1973 foi rico em quantidade e qualidade. Isso ninguém vai poder discordar. Quanto as discos que poderiam estar e não estão resenhados... Queríamos ter mais LPs, mas era preciso ter um limite. E convenhamos, cada lembrança de um bom disco que não entrou só sublinha a ideia que 1973 foi o ano que reinventou a MPB, que ao contrário do que alguns afirmam, vem se reinventando todo dia. Nem tudo que a gente inventa é bom. Mas, aí já é outra coisa.

 


A lista dos textos presentes no livro:

Tempos de Milagre. Anos de Chumbo −

Washington Santos

Um projeto especial − Célio Albuquerque e Marcelo Fróes

Álbum: Phono 73, O Canto de Um Povo - Artista: Diversos artistas

Indo direto ao ponto − Nélio Rodrigues

Álbum: Um Passo à Frente

Artista: A Bolha

O auge em um mundo que se modificou − Rafael Zapater

Álbum: Antonio Marcos

Artista: Antonio Marcos

A madrinha que o samba batizou − Analu Germano

Álbum: Canto Por Um Novo Dia

Artista: Beth Carvalho

A música que ultrapassa fronteiras estéticas

e geográficas − Maurício Gouvêa

Álbum: Beto Guedes / Danilo Caymmi / Novelli / Toninho Horta - Artista:

Beto Guedes, Danilo Caymmi, Novelli e Toninho Horta

A liberdade é Araçá Azul − Ricardo Moreira

Álbum: Araçá Azul

Artista: Caetano Veloso

Quase que Chico não canta − Nilton Pavin e Sílvio Atanes

Álbum: Chico Canta (Calabar, O Elogio da Traição)

Artista: Chico Buarque

O canto de ouro do sabiá – Vagner Fernandes

Histórias de Garimpeiro (depoimento de Aldezon Alves)

Álbum: Clara Nunes

Artista: Clara Nunes

Quelé pede sempre mais – Luis Pimentel

Álbum: Marinheiro Só

Artista: Clementina de Jesus

O solo sagrado da “Missa” de Edu – Regina Zappa

Álbum: Edu Lobo

Artista: Edu Lobo

Elis mudou. Não o disco – Danilo Casaletti

Álbum: Elis

Artista: Elis Regina

Estreia solo aos 43 anos – José Rosa Garcia

Álbum: Élton Medeiros

Artista: Élton Medeiros

Desfile carnavalesco – Vicente Dattoli

Álbum: Sambas de Enredo

Artista: Escolas de Samba do Grupo 1

Clássico pop instrumental − André Agra

Muito Além de Um Prelúdio (depoimento de Eumir Deodato)

Álbum: Prelude

Artista: Eumir Deodato

Quando o sertão virou mar e o mar virou sertão − Renato

Vieira

Álbum: Manera Fru Fru, Manera

Artista: Raimundo Fagner

O popular e o erudito: a orquestra em pessoa − Luiz Felipe

Carneiro

Álbum: Francis Hime

Artista: Francis Hime

Como um passarinho − Marcos Sampaio

Álbum: Índia

Artista: Gal Costa

O pop maldito de Lamounier − Ricardo Schott

Álbum: Guilherme Lamounier

Artista: Guilherme Lamounier

A mente livre de Hermeto Paschoal − André Cananéa

Álbum: A Música Livre de Hermeto Paschoal

Artista: Hermeto Paschoal

Uma estreia em transição − Luiz Fernando Vianna

Álbum: João Bosco

Artista: João Bosco

... É João Donato − Antonio Carlos Miguel

Álbum: Quem é Quem

Artista: João Donato

O álbum branco do João − Juca Filho

Álbum: João Gilberto

Artista: João Gilberto

Psicodelia arretada − José Teles

Álbuns: Satwa e Marconi Notaro no sub-reino dos protozoários

Artista: Lula Côrtes e Lailson e Marconi Notaro

Obrigado, Flávio Cavalcanti − Dácio Malta

Álbum: Luiz Gonzaga Jr.

Artista: Luiz Gonzaga Jr.

Preciosidade única − Pedro Só

Álbum: Pérola Negra

Artista: Luiz Melodia

Meteorologia musical − Cláudia Menescal

Álbum: Previsão do Tempo

Artista: Marcos Valle

Tentando alcançar os astros −

Thelmo Lins

Álbum: Drama 3º Ato

Artista: Maria Bethania

Sambista de enredo – Rildo Hora

Álbum: Origens

Artista: Martinho da Vila

A arte de colocar no som o que a censura tirou de letra...

e fazer um disco revolucionário − Luiz Maciel

Álbum: Milagre dos Peixes

Artista: Milton Nascimento

O homem percussão – Marcos Suzano

Álbum: Amazonas

Artista: Nana Vasconcelos

O rei das calçadas − Álvaro Costa e Silva

Álbum: Nelson Cavaquinho

Artista: Nelson Cavaquinho

Jogando por música − Ricardo Pugialli

Álbum: Novos Baianos F. C

Artista: Novos Baianos

O ano em que Odair José amou demais − Talles Colatino

Álbum: Odair José

Artista: Odair José

Emoções à flor da pele – Moacyr Luz

Álbum: Nervos de Aço

Artista: Paulinho da Viola

O Pessoal do Ceará e a minha praia lírica − Mona Gadelha

Álbum: Meu Corpo, Minha Embalagem, Todo Gasto na Viagem

Artista: Pessoal do Ceará: Ednardo, Rodger e Tetty

O início, o fim, o meio – Sílvio Essinger

Álbum: Krig-há, Bandolo!

Artista: Raul Seixas

Assoviando Pelos Caminhos de Terra Batida

como um Passarinho – Carlos Evandro Lordello

Terra Vista por Dentro (depoimento de Luiz Carlos Sá)

Álbum: Terra

Artista: Sá, Rodrix e Guarabyra

Meia hora de encantamento − Emílio Pacheco

Álbum: Secos & Molhados

Artista: Secos & Molhados

Cala a boca, moço − Luiz Américo Lisboa Júnior

Álbum: Piri, Fred, Cássio, Franklin e Paulinho Camafeu com Sérgio Ricardo

Artista: Sérgio Ricardo

Ecos do bloco que desbloqueou a rua...

e fez o país cantar na voz de Sérgio Sampaio − Sérgio Natureza

Álbum: Eu Quero Botar Meu Bloco na Rua

Artista: Sérgio Sampaio

Imagina um som: eles fizeram – Marcus Veras de Faria

Álbum: Matança do Porco

Artista: Som Imaginário

Parece que foi hoje – José Maria dos Santos

Álbum: Fotografias

Artista: Taiguara

Amanhecer total – Luiz Antonio Mello

Álbum: Terço

Artista: Terço

Mais grave! mais agudo! mais eco! mais retorno!

mais tudo! – Aimeé Louchard

Álbum: Tim Maia

Artista: Tim Maia

Essa música é para adiante – Roberto Muggiati

Álbum: Matita Perê

Artista: Tom Jobim

Que olhos estão abertos para Tom Zé? – Beto Feitosa

Álbum: Todos os Olhos

Artista: Tom Zé

TV a cores num paiol de pólvora – Célio Albuquerque

Álbum: O Bem Amado (trilha sonora)

Artista: Toquinho e Vinicius

Ou não? sim! – Ayrton Mugnani Jr.

Álbum: Ou Não

Artista: Walter Franco

A resenha de uma amizade − Tavito

Álbum: 1º Acto

Artista: Zé Rodrix

Os álbuns que não saíram. Ou quase − Marcelo Fróes

Álbuns: A e o Z - Tutti Frutti - Cidade do Salvador - Banquete dos Mendigos

Artistas: Mutantes - Rita Lee - Gilberto Gil - Diversos Artistas

 

Publicidade